Blog

Qual a rotina ideal para o tratamento da minha piscina?

A visão de uma piscina suja ou com cor diferente da azul que estamos habituados não agrada ninguém, certo? Não só pela estética que foge do padrão, mas pelos riscos que uma piscina tratada incorretamente pode trazer para quem entrar nela.

Dessa maneira, uma água não tratada é muito provável de estar contaminada por fungos, bactérias e microorganismos que podem fazer muito mal à saúde humana. Por isso, é essencial que a limpeza esteja sempre em dia, garantindo uma água limpa e totalmente segura para os que buscam o lazer da piscina.

Contudo, como saber a rotina ideal para tratar a piscina? Quantas vezes é necessário aplicar os produtos e chamar alguém para fazer a manutenção? É o que queremos esclarecer no artigo de hoje!

Rotina indicada para tratamento de piscinas

O primeiro ponto que queremos esclarecer é que essa rotina varia entre as piscinas, tendo em vista as diferenças de tamanho. Ela também pode variar de acordo com a quantidade de pessoas que utilizam a água, algo que muda com as estações e variações climáticas. Por exemplo, a piscina de um clube será muito mais visitada no verão do que no inverno!

Por isso, a rotina que estamos fornecendo aqui é apenas um modelo, feito com o objetivo de te nortear e ser adaptado para a sua piscina em específico.

Limpe a área externa com frequência média

Mesmo que não haja árvores no entorno da piscina, o vento pode trazer poeira, sujeiras e diversos microorganismos para a piscina e para o redor dela. Dessa forma, varrer a área externa com frequência média, não permitindo que seja
formada uma camada de sujeira, pode prevenir manutenções da água.

Limpe a superfície da água com frequência média

Há diversos dispositivos que podem lhe ajudar nessa tarefa, alguns automáticos, outros mecanizados, como pré-filtros. Se for a opção, recomendamos que você limpe este dispositivo pelo menos uma vez na semana.

Agora, se a limpeza da superfície da sua piscina é feita manualmente, nossa recomendação é que você limpe a superfície da água de duas a três vezes na semana — isso se você não tem o costume de cobri-la com capa.

Controle o pH e o cloro com frequência alta

O cloro deve ser aplicado com uma frequência alta, dada a sua tendência a evaporar junto com a água. Já a correção de pH deve ser feita de acordo com o que o teste apontar. Você pode comprar um medidor por cor, e se estiver muito longe do número ideal, entre 7,2 e 7,6, aplicar produtos que tornem a água da piscina neutra de novo.

Porém, apesar dessa manutenção só ser necessária quando o pH estiver acima ou abaixo do ideal, já alertamos que a tendência dele desregular é grande. Isso acontece, pois, chuva, detritos, sujeiras, protetor solar, entre diversas outras coisas são agentes que alteram o pH, tornando sua estabilidade muito difícil.

Decantação e aspiração com frequência baixa

Esse processo tem o objetivo de separar elementos sólidos da água da piscina. Essa etapa é muito importante, mas não possui a necessidade de ser feita com frequência alta. Porém, se houver muitas partículas mesmo após aspiração recente, repita o processo. Elas podem ser perigosas para o ser humano e para os equipamentos da piscina em si.

Escovação das superfícies e paredes

Tente fazer esse processo semanalmente e sempre antes de decantar e aspirar o fundo da piscina. A escovação com uma escova específica de piscinas serve tanto para retirar o lodo e as algas das bordas quanto para retirar gordura corporal, restos de filtro solar e suor.

Tome muito cuidado para não utilizar escovas duras que podem danificar a piscina. No lugar, opte por cerdas macias, como a que você pode conferir clicando aqui!

Conte conosco, da Castelo Bombas, para oferecer os produtos que você precisa para tornar a manutenção da sua piscina a melhor possível. Trabalhamos com as marcas líderes do mercado, e nossa equipe é treinada para fornecer toda a orientação que você precisa.

Clique aqui e entre em contato conosco!

Deixe um comentário